domingo, 30 de julho de 2017

Êxodo: Deuses e Reis

  Acho muito legal quando o diretor pega uma história muito conhecida, a qual todos já sabemos começo meio e fim, e consegue prender nossa atenção.
  Nesse sentido considero o filme - Êxodo: Deuses e Reis - mais uma obra de arte de Ridley Scott.

  


  “A vida do líder Moisés, nascido entre os hebreus na época em que o antigo império egípcio ordenava que todos os homens hebreus fossem mortos.
  O profeta foi resgatado pela irmã do faraó e criado na família real.   
  Ao se tornar adulto, Deus ordena que ele lidere a saída dos hebreus da opressão do poderoso Ramsés.
   Após um ciclo de pragas mortais, finalmente ele lidera os 600 mil hebreus em uma fuga monumental.”


  Não me interessei pelo filme justamente por considerar a história manjadíssima.
  Como não há muitas opções do meu gosto, gravei o filme em Junho para assistir em algum momento de tédio.
  Se em 30 minutos o filme não prendesse minha atenção o apagaria.
  Ontem (29/07/2017) assisti.
  Caraca!
  Foram quase 2 horas bem vividas 😄.
  Belas imagens, efeitos dentro do contexto, interpretações convincentes, bons diálogos.

  Fiz uma pausa na metade do filme para comer bolo com café ... ô vida dura 😄

  



 [Mas esse mini texto não é pra falar do meu “sofrimento” é só para recomendar o filme.]



----------------------------------------------------------------------